Coletiva “Almas Ingênuas” está em cartaz no Centro Médico do Shopping

Lidia Papic - Argentina
Obras de renomados artistas internacionais integram a mostra “Almas Ingênuas”, em cartaz até o dia 30 de março, no espaço de arte do Centro Médico do Shopping Vitória. Com curadoria da capixaba Ângela Gomes, a exposição reúne 60 obras de 34 artistas de países como Israel, Brasil, Colômbia, Argentina, Portugal e Finlândia. A visitação é gratuita.
Na mostra internacional o público poderá conhecer o trabalho de artistas como o da israelense Orna Geva, que garante que trazer sua obra para o nosso país é uma oportunidade de viajar em um espaço de arte sem fronteiras. A representante da Finlândia é Kia-Maria Aho, que, após expor suas obras na Europa, as apresenta pela primeira vez ao Brasil. Mehmet Selvi (Turquia), Jose Jorge Chavez Morales (Peru), Jose Luis Chavez Tejada (Peru), Martha Tominaga (Argentina) e Lidia Papic (Argentina) também expõem pela primeira vez no país.
 
Elsa Farias - São Paulo
A mostra também contempla obras de artistas brasileiros, vindos de Estados como Minas Gerais, São Paulo, Bahia e Pernambuco. E o Espírito Santo tem como representantes os pintores Celso Andrei Fregona, de Linhares, Juju Menegatti, Ademir Torres e Ângela Gomes, que vai expor cinco obras. “O Brasil está entre os maiores celeiros de artistas naifs no mundo e os capixabas se destacam pela beleza do seu trabalho”, declara a curadora.
 
A premiada pintora Fátima Camargo também abrilhanta o evento com o seu talento. A artista, autodidata, começou a pintar em 2010 e já em 2012 realizou a sua primeira mostra individual. De lá pra cá já levou a sua arte até para a Espanha, Canadá e Portugal. Em setembro deste ano ela foi condecorada com o primeiro lugar no ‘Prêmio Aquisição’, na Bienal Internacional de arte.
Henry Vitor - Minas Gerais
 
A exposição ficará em cartaz até o dia 30 de março e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 7 às 22 horas e aos sábados, das 7 às 13 horas.
 
O que é Arte Naïf?
O termo Arte Naïf foi utilizado pela primeira vez no final do século XIX, para identificar a obra de Henri Rousseau, pintor autodidata admirado pela vanguarda artística dessa época, que incluía gênios como Picasso, Matisse e Paul Gauguin, entre outros. Com esta gênese, a Arte Naïf começou a afirmar-se como uma corrente que aborda os contextos artísticos de modo espontâneo e com plena liberdade estética e de expressão e os seus seguidores definem-na hoje como “a arte livre de convenções”.
 
A Arte Naïf é concebida e produzida por artistas sem preparação acadêmica específica e sem a “obrigação” de terem de utilizar técnicas elaboradas e abordagens temáticas e cromáticas convencionais nos trabalhos que executam. O estilo não se enquadra também na designação de arte popular, diferindo dela na medida em que se trata de um trabalho de criação individual que apresenta peças artísticas únicas e originais.
 
 Caracteriza-se em termos gerais por uma aparente simplicidade e pela liberdade que o autor tem para relacionar ou desagregar, a seu belo prazer, determinados elementos considerados formais; a inexistência de perspectiva, a desregulação da composição, a irrealidade dos fatos ou a aplicação de paletas de cores chocantes. A arte Naïf exprime ainda, de um modo geral, alegria, felicidade, espontaneidade e imaginários complexos.
 
Serviço
Coletiva Internacional de Arte Naif “Almas Ingênuas”
Visitação: até 30/03/2018
Local: Centro Médico do Shopping Vitória
Horário de visitação: de segunda a sexta-feira, das 7 às 22 h e aos sábados, das 7 às 13 h
Entrada gratuita

2 Comments

Escreva um comentário

Preencha abaixo *